22/06/2017

A CARREIRA METEÓRICA E A MORTE INESPERADA DO ÍDOLO ROMÂNTICO PAULO SÉRGIO


Paulo Sérgio foi um dos maiores cantores românticos dos anos 1960 e 1970. Angariou milhares de simpatizantes por onde passou. Não seria exagero afirmar que sua carreira foi meteórica. Ele morreu de forma repentina em virtude de um derrame, ainda no auge da juventude.
O capixaba Paulo Sérgio nasceu na cidade de Alegre em 1944 e morreu em São Paulo em 1980. Começou sua carreira em 1968 com um compacto com a música A Última Canção, que fez um sucesso estrondoso. O curioso é que ele foi descoberto quando acompanhava um amigo para um teste numa gravadora.
Uma das suas primeiras aparições como cantor popular foi na verdade num filme chamado Os Reis do Iê-iê-iê, quando fez o papel de um calouro no programa do Chacrinha (vamos dizer que ele interpretou ele mesmo).
Seu primeiro long play foi Paulo Sérgio – Volume 1, lançado em 1968. As vendas ultrapassaram as 300 mil unidades. Ainda nesse ano, lançou O Inimitável, seu segundo LP.
Em virtude do timbre de voz semelhante, foi acusado de ser um mero imitador de Roberto Carlos, o principal ídolo da juventude daquela época. Paulo Sérgio se defendeu alegando ser fã de Roberto Carlos e dizendo que o fato de ambos possuírem timbres parecidos era apenas coincidência. Por sinal, Paulo Sérgio e Roberto Carlos chegaram a se apresentar juntos no antigo programa Os Galãs Cantam e Dançam, comandado por ninguém menos que Silvio Santos.
Se existia um cantor que dificilmente saia de moda, era Paulo Sérgio. Com o passar dos anos ele se apresentou na Buzina do Chacrinha, Globo de Ouro, Almoço com as Estrelas, Clube do Bolinha, Programa Raul Gil.... Até que no final dos anos 70, resolveu dar uma pausa na carreira e curtir uma vida mais tranquila com a família num sítio de Itapecerica da Serra.
Mas Paulo Sérgio tinha a intenção de abandonar em definitivo os palcos depois dos 40 anos. Com o lançamento de um novo disco, voltou a fazer shows por todo o Brasil. Até que reclamou de fortes dores de cabeça e náuseas durante uma passagem pela cidade de São Paulo para cumprir agenda. Ele foi socorrido e levado para o hospital São Paulo, onde chegou desacordado. Os médicos fizeram o possível para reanima-lo, mas sem sucesso. Paulo Sérgio teve um derrame cerebral devastador.
O cantor morreu mais propriamente em 29 de julho de 1980. A notícia emocionou o Brasil inteiro (dois anos depois, ocorreria outra morte inesperada no mundo da música, a de Elis Regina). O corpo foi inicialmente velado no cemitério de Vila Mariana e depois transportado para o Rio de Janeiro, onde foi sepultado.
Paulo Sérgio gravou 13 LPs e vendeu em torno de 2 milhões de cópias. Devemos lembrar que foram apenas 12 anos de carreira, algo surpreendente ainda hoje em dia.
Seu túmulo continua sendo um dos mais visitados no dia de finados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário